1x1.trans - O que muda para o movimento missionário brasileiro com o novo governo a partir de 2019?
O que muda para o movimento missionário brasileiro com o novo governo a partir de 2019?

Ambos os lados se satanizavam. Ou, o Brasil se tornaria comunista, Venezuela, ou, neofascista. A possibilidade de democracia forte com as suas instituições estabelecidas, preservando o estado de direito, parecia não ser possível. Sugeriam que cairíamos numa tragédia.

Venceu aquele que, inicialmente, tinha menos chance, ainda que tenha sempre liderado as pesquisas. Bolsonaro, portanto, é o nosso Presidente. Foi eleito com apoio expressivo dos evangélicos. E, com considerável influência da bancada evangélica na nomeação de alguns ministros. O “nós e ele” e o “ele e nós”, estão entrelaçados. Bem, isso afeta o nosso testemunho missionário no Brasil e até os confins da terra?

Assim como o resultado eleitoral foi surpreendente, qualquer resposta aqui é uma possibilidade hipotética. Mas, vamos lá nesse exercício de previsão

 

Primeiro, os erros e acertos do novo governo serão associados aos evangélicos. Principalmente, associados aos pastores que saíram em campanha. Nesse sentido, perdemos a neutralidade que permitiria denúncias. Talvez, tenhamos um preço a pagar por termos deixado a tradição protestante, de como pastores, de não declarar voto. A impressão que tenho, que membros de igreja optaram mudar de congregação à luz da opção política do seu pastor. Ou, à luz de sua militância mais aguerrida. Portanto, a política afetou a comunhão, o pastoreio e o testemunho.

Segundo, a belicosidade da campanha. Pastores envolvidos nas posturas mais agressivas, possivelmente provoca desconforto no dialogar com os evangélicos. Diálogo presume civilidade.

Terceiro, a militância belicosa evangélica à esquerda, ou à direita, ressaltou diferenças irrelevantes para o testemunho. Ou seja, apesar das diferenças periféricas, a unidade no essencial, Jesus, ficou em segundo plano. Como disse John Wesley:”No essencial, unidade; nas diferenças, liberdade; e em todas as coisas, caridade”. Não parecia haver liberdade para as diferenças secundárias. Era como se unidade cristã dependesse de uniformidade partidária.

Quarto, o novo governo sinaliza alinhamento com a política externa americana. Possivelmente, uma das razões pelas nações falarem que amam o Brasil, ou os brasileiros, além de futebol e carnaval, seja a neutralidade da diplomacia brasileira, respeitando a soberania dos povos. Nesse contexto, talvez experimentaremos como brasileiros no exterior, missionários ou não, um aumento do grau de antipatia, o qual terá efeito nos relacionamentos necessários para o testemunho. Um certo ódio aos americanos, poderá ser um certo ódio aos brasileiros.

Quinto, ligado ao item anterior, a mudança da Embaixada Brasileira para Jerusalém. Talvez, seja um vespeiro a evitar. Não sabemos ao certo, mas certamente algum efeito terá no relacionamento entre brasileiros e muçulmanos.

Sexto, estamos alinhados com a moralidade evangélica tradicional quanto a defesa da vida, casamento monogâmico heterosexual, contra ideologia de gênero e contra erotizar crianças, o que seria fora de nossas convicções. Esse alinhamento, porém, não pode ser visto como imposição com ódio a toda a sociedade, pois até o Senhor permite que cada um ande nos seus caminhos. Afetará o nosso testemunho se as pessoas nos virem como impositores, e não anunciadores e demonstradores de um convite. “Venham a mim, todos os que estão cansados e sobrecarregados, e eu lhes darei descanso” (Mateus 11.28).

Sétimo, a presença de Sérgio Moro como Ministro da Justiça, como símbolo de combate a corrupção, e como entusiasta das 70 medidas contra a corrupção, os quais foram desenvolvidas pela Transparência Internacional e Fundação Getúlio Vargas, deve ser um ponto a favor ao testemunho evangélico. Nesse processo, evangélicos corruptos também serão pegos, e isso será bom. É bom sermos vistos como favoráveis a integridade.

Qualquer que fosse o resultado das eleições, haveria consequências para o nosso testemunho na sociedade. Acima ressalto somente uns pontos aos quais deveremos estar atentos. Na verdade, queremos e devemos remover todos os escândalos à fé, menos o escândalo da cruz. “Nós pregamos a Cristo crucificado, que é escândalo para os judeus, e loucura para os gregos.” (1 Coríntios 1.23).

FONTE: Aliança Cristã Evangélica Brasileira (clique aqui)

terça-feira, 01 janeiro 2019

Mais do ME

Seus olhos estão abertos para as oportunidades?

Seus olhos estão abertos para as oportunidades?

Durante meu período de intercâmbio vivi algo novo para mim, que me deixou chocado principalmente nos três primeiros meses de intercâmbio e que foi bem diferente da minha experiência anterior, me fazendo pensar muito e refletindo inclusive neste texto: REFUGIADOS.

ler mais

Abraão e os 300

Abrão foi chamado por Deus para deixar sua casa e partir para uma terra que o próprio Senhor mostraria a ele, sob a orientação de que deixasse tudo para trás – parentes inclusive. Contrariado ele leva um dos seus sobrinhos, o qual mais tarde iria causar algumas dores de cabeça para Abrão.

Seus olhos estão abertos para as oportunidades?

Durante meu período de intercâmbio vivi algo novo para mim, que me deixou chocado principalmente nos três primeiros meses de intercâmbio e que foi bem diferente da minha experiência anterior, me fazendo pensar muito e refletindo inclusive neste texto: REFUGIADOS.

A Igreja ainda vive o Pentecostes?

Na data de nascimento da Igreja o que nós temos é a expressão maior do que a Igreja é chamada a vivenciar. Ela nasce com um sentido e um propósito específico: anunciar as maravilhas do Senhor na língua de todos os povos. E para isso os discípulos são capacitados pelo agir do próprio Espírito Santo, cumprindo a promessa de Jesus. Não depende de nós, depende de agir do Espírito Santo em nós. É ele que nos concede esse poder de anunciar em todas as línguas o que o próprio Deus quer para os povos.

As inscrições para Intercâmbios 2020 – 2021 estão abertas!

Viva uma aventura longe da sua zona de conforto. Inscrições até 30 de outubro.

Nem sempre o Feliz Dia das Mães é um dia feliz

O Dia das Mães já se tornou sinônimo de afeto, carinho e consideração pelas mães. É uma data de singular importância sobretudo por reforçar os vínculos familiares. Mas, infelizmente, esse dia não é uma boa lembrança para todas as pessoas. Existem aquelas que sofrem simplesmente por lembrar de uma data assim.

1º Encontro de Empreendedores – Novo Hamburgo/RS

Esse foi o primeiro encontro regional organizado por empreendedores cristãos em Novo Hamburgo. Você é convidado a participar do próximo Encontro de Empreendedores, em Florianópolis/SC.

Prepare-se para um CPM de cara nova!

Prédio começou a receber nova pintura no mês de abril e até o final de julho pretende estar renovado para receber eventos  e pessoas de todos os cantos do mundo.

7 tipos de igrejas-problema para o pastor

Se você está liderando uma dessas comunidades, não ande sozinho. Você precisa do apoio em oração de outros irmãos na fé enquanto pastoreia um lugar difícil como esse.

Segundo Encontro do Projeto SOMA

O segundo encontro do SOMA teve como temática as habilidades sociais com base no exemplo de Jesus. Durante o encontro foram realizadas programações teóricas e práticas que promoveram o autoconhecimento dos participantes e a sua capacitação emocional e social.

Não trabalhe pela comida que se estraga

Jesus disse aos judeus em João 6.27: “Não trabalhem pela comida que se estraga”. É claro que ele não quis dizer que só a comida é que está descartada, mas roupas, casas, carros e viagens também. Qualquer coisa que pereça, qualquer coisa que se desgasta, qualquer coisa sem valor eterno – tudo isso está implícito nesta afirmação.

Sou aperfeiçoado através do sofrimento

Convidar Jesus para fazer parte do nosso dia a dia é algo que nós, pais, normalmente fazemos muito. Oramos e desejamos que nossos filhos vivam dentro dessa atmosfera de paz, esperança e amor que somente Cristo pode dar. Afinal, queremos que eles tenham as experiências incríveis que nós mesmos já tivemos com Deus.

ME e Missão Zero pensando a igreja para 2030

A Assembleia Geral do ME foi realizada nos dias 29 e 30 de março. Planejar a missão e a igreja para 2030 foi o tema principal que envolveu os participantes durante estes dois dias.

A Igreja ainda vive o Pentecostes?

A Igreja ainda vive o Pentecostes?

Na data de nascimento da Igreja o que nós temos é a expressão maior do que a Igreja é chamada a vivenciar. Ela nasce com um sentido e um propósito específico: anunciar as maravilhas do Senhor na língua de todos os povos. E para isso os discípulos são capacitados pelo agir do próprio Espírito Santo, cumprindo a promessa de Jesus. Não depende de nós, depende de agir do Espírito Santo em nós. É ele que nos concede esse poder de anunciar em todas as línguas o que o próprio Deus quer para os povos.

ler mais

#somosME

O Encontrão nasceu como um movimento e quer continuar assim. Para que isso aconteça, a sua participação é essencial. Entre com contato e faça a sua doação.

Newsletter

Assine e fique por dentro de tudo o que acontece no ME.

Email Marketing by E-goi

Siga-nos

e tenha atualizações regulares, em tempo real.

Obrigado! Você se inscreveu em nossa newsletter.

Ocorreu um erro. Por favor, tente novamente.

ME vai usar as informações para enviar novidades para você. Obs.: não compartilhamos suas informações com terceiros.