O Deus que tudo sabe

O Deus que tudo sabe

O silêncio no interrogatório durante seu julgamento armado e a falta de palavras durante a crucificação injusta são prova real e incontestável de que o Senhor não veio para competir com os faladores (Mateus 26.63).

Partiam o pão de casa em casa

abr 9, 2020 | A vida é minha

(continuação)
Nesta semana da páscoa nós temos a preciosa oportunidade de seguir sua recomendação de entregar a condução da nossa vida ao varão de Gólgota. Esqueça os ovos de chocolate que jamais livraram alguém da ansiedade! A única luz que resiste todas as pandemias e maldições é Jesus!

Por que? – Porque na cruz de Gólgota ele suportou voluntariamente todas as mazelas humanas a fim de presentear-nos com vida e salvação eternas. Sua presença liberta, já aqui e agora, do medo, concede esperança e capacita-nos a arregaçar as mangas para ajudar onde há necessidades. Por terem reconhecido isso os primeiros cristãos em Jerusalém reuniam-se “de casa em casa, não deixavam de ensinar e proclamar que Jesus é o Cristo” (Atos 5.42). Cristo não é sobrenome, não. A palavra descreve a função que Deus lhe deu: é o escolhido para resgatar toda a humanidade, também a você e a mim.

Se você quer manifestar ou reafirmar que seu coração pertence ao crucificado e quer curvar-se em silêncio diante dele, você pode fazê-lo de modo simples e significativo, celebrando, nesta quinta-feira, a ceia do Senhor em sua casa como os primeiros cristãos que “partiam o pão em suas casas” (At 2.26). Providencie pão para todos se satisfazerem e suco de uva, além do que costuma comer com pão (geleias ou frios). No início da ceia leiam 1a Coríntios 11.23-28. Depois ofereçam um ao outro pão, dizendo: “Este é o corpo de Cristo dado por ti”. O silêncio reverente durante a refeição pode ser interrompido por orações de arrependimento, pedidos de perdão e palavras bíblicas. Ao final, ofereçam mutuamente um copo com suco, dizendo: “Este é o sangue de Jesus derramado por ti na cruz”. Então orem em conjunto o Pai Nosso e cantem hinos que souberem.

Que Deus lhe conceda a experiência de que ele não depende de templos, nem de pastores. Ele está presente onde dois ou três se reúnem em sua casa.

Que sua paz esteja no seu lar.


Martin Weingaertner
Professor da FATEV em Curitiba

Fique por dentro do que acontece no ME!

O Deus que tudo sabe

O Deus que tudo sabe

O silêncio no interrogatório durante seu julgamento armado e a falta de palavras durante a crucificação injusta são prova real e incontestável de que o Senhor não veio para competir com os faladores (Mateus 26.63).