É bom viver em união! – Sl 133

abr 13, 2020 | A vida é minha

A vida é minha! Coloque essa frase no Google e seja bombardeado por milhões de frases de auto ajuda dizendo: a vida é minha e eu faço dela o que eu quiser, ou, a vida é minha e a sua opinião não importa, ou até mesmo, a vida é minha e eu vivo ela do meu jeito. Mas, será que é realmente assim? Somos ilhas que podemos viver a nossa vida, da nossa forma e não ligar, se importar ou levar em consideração nada e nem ninguém para mudar alguma atitude, pensamento ou opinião?

Bem, tenho más notícias para quem acha que podemos viver dessa maneira, pois não podemos. E, pra ser sincera nem queremos. Quem de nós nunca vestiu uma peça de roupa e foi logo perguntar para a mãe ou ao namorado se estava linda? Quem nunca se enfeitou toda para ir à uma festa ou até mesmo à escola em um dia só porque estava se sentindo muito feliz? Vivemos rodeados por pessoas e pelas opiniões de cada uma delas (boas ou não no nosso ponto de vista). Também opinamos sobre tudo e todos em todos os momentos, nem que seja apenas em pensamento.

Que nestes dias de quarentena e quaresma possamos dar mais valor aos abraços que, por enquanto, não podemos dar, aos beijos que não estão sendo roubados, às rodas de conversa que estão sendo trocadas por aplicativos de relacionamento, aos almoços de domingo que estão cada vez mais vazios.

Viver rodeado de pessoas é ótimo! Saber que a minha vida não é só minha, mas sim a soma das vidas das pessoas que amamos que nos transformam no que somos a cada dia, é ótimo. Estávamos vivendo um momento que beirava a alienação em termos de vínculo e relacionamentos duradouros, não só no mundo, mas também dentro de nossas igrejas.

Que esse momento possa servir como reflexão, para nos voltarmos a Deus e para as coisas dele, que são essenciais para nós, como seus filhos e filhas. Como diz Efésios 5:29-30: “Além do mais, ninguém jamais odiou o seu próprio corpo, antes o alimenta e dele cuida, como também Cristo faz com a igreja, pois somos membros do seu corpo”. Como membros de um só corpo, devemos nos amar e viver em união, abraçar mais, estar mais junto de quem amamos, esquecer um pouco o individualismo de viver a “minha” vida, e sim viver a vida que Cristo sonhou para nós, em comunhão e amor uns com os outros. Relacionamentos duradouros e sinceros alegram a Deus e nos fazem crescer.

Vamos começar a vivê-los mais?


Lílian Roloff Albrecht
Enfermeira responsável técnica no CAPS – Centro de Atenção Psicossocial – em Ipumirim-SC e membro na IECLB em Arabutã-SC. Lílian mora em Arabutã, Santa Catarina, Brasil.
Foto: Archie Binamira – Pexels

Fique por dentro do que acontece no ME!