Discipulado – vontade de Deus para o povo de Deus
8
novembro, 2019
por Comunicação ME

Chegamos ao último encontro do SOMA em 2019! Mas calma, em breve vamos nos ver de novo. Essa turma de jovens líderes estará conosco até 2021, recebendo mentoria e treinamento para aplicar em suas vidas, nas suas comunidades e também no processo de discipulado. Este último, inclusive, foi tema do nosso quarto encontro, para o qual os participantes tiveram que ler anteriormente o livro “Discípulo Radical” de John Stott.

O que é discipulado? Essa pergunta foi feita para os jovens do encontro e eles responderam com algumas palavras chave como: relacionamento, crescimento, intimidade, sacrifício, amizade, aprendizado, cuidado. De forma comum, criou-se no SOMA um conceito de discipulado: “uma pessoa com uma experiência de fé mais longa investe seu tempo de forma intencional em outra pessoa com uma caminhada de fé menor, compartilhando vivências e experiências espirituais, para que ambos sejam imitadores de Cristo”.

John Stott escreve que o discipulado genuíno é um discipulado sincero. A palavra “discípulo” ganha força quando comparada a palavra “cristão” porque a primeira estabelece uma relação de professor e aluno em que o discípulo está constantemente sendo disciplinado por Jesus através, também, da vida de outras pessoas. A palavra “radical” que consta no título do livro é derivada do latim radix = raiz, e se refere a indivíduos cujas opiniões vão às raízes e que são extremos em seu compromisso. “Geralmente evitamos o discipulado radical sendo seletivos: escolhemos as áreas nas quais o compromisso nos convém e ficamos distantes daquelas nas quais nosso envolvimento nos custará muito. Porém, por Jesus ser Senhor, não temos o direito de escolher as áreas nas quais nos submetemos à sua autoridade.” (STOTT, John, 2010, p.11).

No decorrer do livro, o autor destaca oito características de um discípulo radical. A primeira delas é o inconformismo à cultura do nosso tempo e Stott escreve: “não devemos preservar nossa santidade fugindo do mundo nem sacrificá-la nos conformando a ele”. Neste contexto, um discípulo radical desenvolve uma contracultura cristã, para que outras pessoas possam engajar-se nela.
Na segunda característica, os discípulos são chamados a ser como Jesus em seu serviço, em seu amor, em sua resistência paciente e em sua missão. Essa obediência leva a três conseqüências práticas: o mistério do sofrimento, o desafio do evangelismo e a habitação do Espírito Santo. A terceira característica é a maturidade que significa ter um relacionamento de adoração, confiança, amor e obediência a Cristo, pois quanto mais pobre for o nosso conceito dele, mais pobre será nosso discipulado e o inverso também é verdade. 

O cuidado com a criação é um mandamento e responsabilidade da Igreja como sinal de amor pelo Criador e expressão de adoração a Ele; o resultado dessa característica é a busca pela preservação do meio ambiente e o desenvolvimento de recursos sustentáveis para o bem comum, cumprindo a ordem de Deus para cuidar e zelar pela sua criação. Para que os discípulos cuidem da criação, o autor os convida para viver um estilo de vida simples, “Deus quer que seus recursos sejam bem administrados e repartidos para o benefício de todos” e isso inclui um compromisso pessoal, da comunidade cristã, desenvolvimento internacional, justiça, política, evangelização e a volta do Senhor.

As últimas três características de um discípulo citadas pelo autor são: 1) o equilíbrio à luz de nossa santidade em Cristo, a qual Stott explica “se você se lembrar de sua identidade se comportará de acordo com ela”, como sacerdotes de Deus, seu povo escolhido – servos e estrangeiros nesta terra – somos chamados ao crescimento, comunhão, adoração, testemunho, santidade e cidadania; 2) somos totalmente dependentes de Deus para tudo na vida e a recusa em ser dependente mostra um sinal de imaturidade de um discípulo de Jesus; 3) como discípulos de Cristo, “não devemos subestimar o custo da morte, que por si só leva à vida. “Se alguém quiser acompanhar-me, negue-se a si mesmo, tome a sua cruz e siga-me. Pois quem quiser salvar a sua vida, a perderá, mas quem perder a vida por minha causa e pelo evangelho, a salvará.” – Marcos 8.34-35

Entre outros questionamentos, debates e conversas, o encontro terminou com a seguinte pergunta: Estamos produzindo discípulos maduros que imitam Cristo, constantemente servindo os outros? Se a resposta é “não”, então por que existimos? Jesus foi claro, realista e direto. Ele nos orientou a calcular bem o custo antes abraçar algo com o qual não nos comprometeríamos depois (Lc 14.25-33). Jesus está dizendo que quem realmente está disposto a tornar-se cristão vai andar no mesmo ritmo dele, vai seguir seus passos e fazer o que Ele fazia: discípulos.

Mais do ME

O compartilhar da vida no compartilhar da sala de estar

O compartilhar da vida no compartilhar da sala de estar

A terra santa, onde Deus está, também são as pessoas que estão sedentas procurando por respostas e principalmente que ainda não conhecem Jesus. Ao nosso redor há vários corações que são terra santa, vidas em que Deus está agindo e trabalhando. Nós somos convidados a tirar as nossas sandálias e servir na vida dessas pessoas. Somos convidados a iniciar a missão aqui, com as pessoas que estão ao nosso redor.

ler mais

Billie Eilish a popstar da Geração Z

“Pop star do terror” e “artista das sombras” são apenas dois dos apelidos dados para Billie Eilish, uma cantora de apenas 18 anos que ficou muito famosa entre milhões de adolescentes pelo apelo em suas canções sobre amores da adolescência, depressão, perda, ansiedade e auto imagem.

O compartilhar da vida no compartilhar da sala de estar

A terra santa, onde Deus está, também são as pessoas que estão sedentas procurando por respostas e principalmente que ainda não conhecem Jesus. Ao nosso redor há vários corações que são terra santa, vidas em que Deus está agindo e trabalhando. Nós somos convidados a tirar as nossas sandálias e servir na vida dessas pessoas. Somos convidados a iniciar a missão aqui, com as pessoas que estão ao nosso redor.

Tenha esperança por algo que não te decepciona

Colocar nossa esperança em Cristo é a única garantia de sermos correspondidos. Não por nossos próprios méritos, mas porque é uma promessa de Deus para cada cristão. Depositar nossos desejos e vontades nele é a única maneira de não sermos decepcionados. Só Ele é a esperança que não decepciona.

Selecionados para o Intercâmbio ME 2020/21

Veja quem foi selecionado para o Intercâmbio ME 2020, Noruega e França.

No ‘aqui’ também há solo santo

A terra santa, onde Deus está, também são as pessoas que estão sedentas procurando por respostas e principalmente que ainda não conhecem Jesus. Ao nosso redor há vários corações que são terra santa, vidas em que Deus está agindo e trabalhando. Nós somos convidados a tirar as nossas sandálias e servir na vida dessas pessoas. Somos convidados a iniciar a missão aqui, com as pessoas que estão ao nosso redor.

Mais de 2000 jovens participam de encontrões regionais

Todos esses encontros e temas discutidos são importantes para que haja um despertar de pessoas e vocações a partir da ação do Espírito Santo, além de proporcionar contatos entre jovens que clamam pelo Reino de Deus em várias partes do país.

Discipulado – vontade de Deus para o povo de Deus

Estamos produzindo discípulos maduros que imitam Cristo, constantemente servindo os outros? Se a resposta é “não”, então por que existimos? Jesus está dizendo que quem realmente está disposto a tornar-se cristão vai andar no mesmo ritmo dele, vai seguir seus passos e fazer o que Ele fazia: discípulos.

ME na assembleia da Alianza Evangélica Latina

Sou muito grato a Deus de ver coisas impactantes que Ele está fazendo e também de que a AEL, começa a ser boa referência e ousada em nortear e motivar com temas para os próximos 10 anos.

Fatos marcantes da Reforma Protestante

31 de outubro de 1517 foi o ponto de partida do movimento da Reforma. Nesta data, o teólogo Martim Lutero difundiu suas “95 teses”, frases curtas nas quais criticava o comércio das indulgências – um sistema de perdão dos pecados da Igreja Católica de São Pedro no Vaticano –  e questionava a autoridade do Papa Leão X  que o excomungou em 1521. 

Uma espiritualidade saudável que dá sentido à vida

Em uma sociedade hedonista e uma igreja muitas vezes triunfalista onde a dor e o sofrimento são facilmente identificados com a ausência de espiritualidade urge a necessidade de se falar sobre o suicídio para que essa compreensão seja mudada e que mais pessoas se tornem sensíveis à dor e ao sofrimento ao seu redor.

Espiritualidade emocionalmente saudável

Durante o segundo encontro do SOMA, uma turma de mais de 30 jovens tiveram a oportunidade de aprender um pouco mais sobre uma vida espiritual e emocional saudáveis, como elas estão ligadas entre si, quais as cargas familiares positivas e negativas que carregam e como esses fatores influenciam para o desenvolvimento da própria personalidade.

Abraão e os 300

Abrão foi chamado por Deus para deixar sua casa e partir para uma terra que o próprio Senhor mostraria a ele, sob a orientação de que deixasse tudo para trás – parentes inclusive. Contrariado ele leva um dos seus sobrinhos, o qual mais tarde iria causar algumas dores de cabeça para Abrão.

Tenha esperança por algo que não te decepciona

Tenha esperança por algo que não te decepciona

Colocar nossa esperança em Cristo é a única garantia de sermos correspondidos. Não por nossos próprios méritos, mas porque é uma promessa de Deus para cada cristão. Depositar nossos desejos e vontades nele é a única maneira de não sermos decepcionados. Só Ele é a esperança que não decepciona.

ler mais

#somosME

O Encontrão nasceu como um movimento e quer continuar assim. Para que isso aconteça, a sua participação é essencial. Entre com contato e faça a sua doação.

Newsletter

Assine e fique por dentro de tudo o que acontece no ME.

Email Marketing by E-goi Email Marketing by E-goi

Siga-nos

e tenha atualizações regulares, em tempo real.